Fala Ferreira

Assim me saúdam os amigos de Guatemala.

UE e EUA em rota de colisão

Na última reunião dos G20, que já comentei aqui, as divergências entre a Europa e os Estados Unidos foram claras e impediram uma posição de força. Enquanto os EUA têm vindo a argumentar contra uma redução do défice, em nome de um maior crescimento económico, a Europa coloca o controlo do défice público acima de tudo. Obviamente, trata-se de uma disputa entre capitalistas, embora não estivesse claro até hoje os termos da disputa.

Paul Krugman (o mesmo que disse que os salários em Portugal deveriam ser desvalorizados em 30%) tem argumentado recentemente contra a ideologia do défice. Afirmou, num texto publicado no i, que os economistas europeus não conseguem explicar a razão porque defendem uma austeridade. Mas hoje, no Público, outro texto de Krugman apresenta claramente essa razão: a crise na Europa, a desvalorização salarial que ela acarreta, está a permitir que os empresários europeus (em particular alemães) aumentem as suas exportações para os EUA. Assim, enquanto o salário europeu baixa, as exportações da Europa para os EUA aumentam, e as exportações em sentido contrário diminuem. As medidas de combate ao desemprego de Obama são, assim, anuladas pelas políticas de redução do défice dos países europeus.

Curiosamente, os economistas norte-americanos tornaram-se, de repente, os maiores aliados dos sindicatos europeus.

Anúncios

21 de Junho de 2010 - Posted by | Economia, Mundo | , ,

Sorry, the comment form is closed at this time.

%d bloggers like this: