Fala Ferreira

Assim me saúdam os amigos de Guatemala.

Às voltas com a constituição

A proposta de revisão constitucional do PSD anda agora às voltas com a questão dos despedimentos. Ou, pelo menos, a comunicação social reduziu a discussão a isso, quando veiculou os discursos do PCP, do BE e da UGT. O PSD já veio dizer que isso é um preciosismo de linguagem, como se a política não fosse feita de preciosismos de linguagem. Se fazer política é fazer leis e decretos para serem aplicados sobre a supervisão de hábeis advogados, cada palavra vale oro. Uma deslocação de sentido (significado) equivale a eu passar a ser ou deixar de ser dono de algo (nem que seja do dinheiro que pago ou não pago de impostos).

Mas, creio, que o essencial não está aí. Existem duas intenções de Passos Coelho estão noutro lado.

A primeira intenção, óbvia e a curto prazo, é inventar uma briga com o PS depois de lhe aprovar o PEC. O PSD terá de arranjar algo para criticar o PS durante a campanha eleitoral. Depois de aprovar o PEC fica difícil criticar as opçõesfo PS em matéria de política económica (e, logo, de crescimento e desemprego).

A segunda, de médio prazo, permanece fora do debate. O PSD está interessado em privatizar o serviço nacional de saúde. Obviamente, Passos Coelho ex-funcionário de uma seguradora privada está a ver como enche os bolsos aos seus ex-colegas. Seria interessante, deste ponto de vista, encontrar a lista de financiadores da campanha de Passos à liderança do PSD e, agora, de Cavaco à Presidência da República.

A esquerda, à excepção do PS (apesar de comunista tenho de reconhecê-lo), não pôs o dedo na ferida. Falou num ataque aos direitos sociais que, para a maioria dos portugueses despolitizadas não diz nada. É preciso dizer:

A revisão constitucional é um ataque à saúde pública para enriquecer as seguradoras privadas.

    Anúncios

    22 de Julho de 2010 - Posted by | Partidos, Portugal | , , ,

    Sorry, the comment form is closed at this time.

    %d bloggers like this: