Fala Ferreira

Assim me saúdam os amigos de Guatemala.

Esquerda à brasileira

O início do segundo turno das eleições no Brasil trás revelações interessantes no campo da esquerda. As três candidaturas à esquerda do PT se posicionaram. A saudável combinação entre a utopia e o pragmatismo típica do Leninismo pautou o comunicado do PCB. Claramente, entre duas candidaturas burguesas ele opta por aquela que defende a soberania nacional do país e respeitará os projectos socialistas dos países vizinhos. Mais, opta por dar o seu voto a uma opção que, sendo capitalista, não manda prender aqueles que protestam contra o governo.

Os trostkistas seguem como sempre. O PSTU apelou ao voto nulo. Nunca é demais repetir a frase de Gramsci que considerava Troskty o teórico do ataque frontal quando isso não trás mais que derrotas. A hipóteses de uma vitória de José Serra deitará por terra o movimento de esquerda. Voltarão a ser presos os dirigentes do MST por porem em causa o direito à propriedade privada; as políticas sociais em franca expansão irão recuar; o Brasil tornar-se-á um país ao serviço do capital internacional na guerra ideológica com Venezula (papel que Lula se esquivou de jogar).

O PSOL, surpreendentemente, fica no meio. A opção entre votar no PT ou votar nulo é dada a cada um dos seus militantes. Mas o seu cabeça de lista veio defender o voto nulo. Plínio de Arruda Sampaio não é troskista, mas parece.

Anúncios

15 de Outubro de 2010 - Posted by | Brasil, Partidos | , , , ,

Sorry, the comment form is closed at this time.

%d bloggers like this: