Fala Ferreira

Assim me saúdam os amigos de Guatemala.

Crise económica: análise de conjuntura política

Resumo:

Os políticos enfrentam a crise com dois projectos antagónicos. Endividar os Estados ainda mais para fomentar o crescimento económico para que, a médio prazo, se possa resolver o problema da dívida. Ou pagar as dívidas a curto prazo para que a economia possa recuperar sem ajuda do Estado. A estes projectos chamo keynesiano e liberal. Por influência da Alemanha o projecto liberal se impôs a diversos níveis: no G20, na União Europeia e em Portugal. Durante o ano de 2010, a dívida foi paga a custa das famílias, sem qualquer participação das empresas. No ano de 2011, o pagamento da dívida exigirá a redução da despesa do Estado, isto é, a privatização das reformas (com os planos poupança reforma), dos serviços de saúde, e da educação. Propõe-se então que os movimentos sociais e partidos de esquerda iniciem uma campanha pelo direito aos serviços públicos com duas intensões. Por um lado opor-se à forma injusta como se está resolver a crise, que paga pelas famílias e não pelas empresas. Por outro, como forma de desgaste das soluções liberais e de modo a recolocar no debate as soluções keynesianas.

O documento completo encontra-se disponível aqui.

Anúncios

5 de Março de 2011 - Posted by | Economia, Ideologia, Partidos, Sociedade portuguesa |

Sorry, the comment form is closed at this time.

%d bloggers like this: