Fala Ferreira

Assim me saúdam os amigos de Guatemala.

E se o PSD fosse governo amanhã?

A vida habituou-me que as acções políticas valem aquilo em que são transformadas pelo jornalismo. É desse prisma que leio o discurso de tomada de posse do Presidente da República. Sobretudo porque isso me evita o longo trabalho de ler o discurso de António Cavaco e Silva. Sobretudo porque não é isso que fica na memória de quem olha a política. Portanto, o discurso do PR foi o que fizeram dele: arrasador para o governo (aqui também), favorável ao PSD, a colar-se à manifestação da Geração à Rasca (aqui também). Os elogios à direita (ver aqui também) reforçam aquela ideia. Face a isto, não foi por acaso que o Público apresentou um artigo sobre o uso do mais elevado poder presidencial: a dissolução da Assembleia da República.

Estamos face a um PR que muito em breve vai levar o país a eleições? Há uns meses eu não acreditava nisso; chamava a atenção para movimentos dentro do PSD que esperavam isso, mas eu não acreditava que viesse a suceder. Ainda há dias afirmei o mesmo. Mas o discurso de Cavaco, hoje, manifestou outro tom!

Que podemos esperar de um governo do PSD? Nada mais que a aceleração da austeridade que o PS tem implementado. Como já disse aqui,

No ano de 2010, a prioridade política, imposta pela Alemanha, foi reduzir a dívida pública. No ano de 2011 continuará a sê-lo. A diferença significativa é que, neste momento, já não poderá sê-lo pelo agravamento dos impostos. Terá de sê-lo por via do corte na despesa pública, isto é, nas despesas do Estado com o serviço nacional de saúde, educação e pensões de reforma. Ou seja, passando uma vez mais os custos da crise para as famílias, sem distribuir os custos do ajuste fiscal para as empresas. A única diferença entre cenários para o ano de 2011 é de grau, dependendo se esta redução da despesa pública será vigiada à distância pela Alemanha e o BCE; ou de perto pelo FMI; ou será conduzida por uma elite política e económica que acredita nessas medidas, com um governo chefiado por Passos Coelho.

Passos Coelho beneficiará ainda da lua-de-mel que se estabelece sempre entre a sociedade e uma eleição, isto é, do refluxo das forças acumuladas recentemente com a preparação da manifestação da Geração à Rasca.

Anúncios

10 de Março de 2011 - Posted by | Partidos, Portugal | , , ,

Sorry, the comment form is closed at this time.

%d bloggers like this: