Fala Ferreira

Assim me saúdam os amigos de Guatemala.

O PEC de Coelho

Jamais defenderia Passos Coelho se não fosse a importância do conteúdo das suas afirmações. Segundo o JN, o líder do PSD afirmou que a austeridade não foi suficientemente austera. Mas quando se olha a entrevista nota-se, a partir do minuto 1:30 que o desacordo com o PEC IV não foi a pura austeridade, mas sim a ausência de medidas de incidência macro-económica.

Com isto ele pode estar a querer dizer duas coisas. Ou aquilo que andam todos os economistas internacionais a dizer, de que a dívida pública não é importante, primeiro o desemprego (ver aqui também). Ou, o que é mais provável, seguir a receita dos empresários portugueses e preferir  cortar nas prestações sociais – pensões de reforma, serviço nacional de saúde e sistema nacional de educação – ao invés de aumentar impostos.

Sendo que a segunda hipótese é a mais provável, resta dizer que é uma má solução na medida em que terá efeitos ainda mais negativos no combate à crise. Somente a ideologia, e a falta de leitura dos livros de Keynes, podem fazer acreditar que quanto menos Estado mais a economia cresce.

Anúncios

27 de Março de 2011 - Posted by | Economia, Ideologia | ,

Sorry, the comment form is closed at this time.

%d bloggers like this: