Fala Ferreira

Assim me saúdam os amigos de Guatemala.

15o… Portugal anacrónico

A manifestação de 15 de Outubro (15o) se mundializou. Tomar uma posição sobre o 15o implica levar isso em conta. Implica pensar em simultâneo no que está e irá acontecer a países distintos, com os EUA, Espanha, Inglaterra, Grécia, Brasil, etc., isto é, para além de Portugal. Assim, o 15o nos EUA tornou-se uma lufada de ar fresco, que já foi saudado por muitos ativistas de esquerda de todo o mundo (por exemplo, Miguel Urbano). Em Espanha o movimento tornou-se a “vanguarda” da luta de classe e, por isso mesmo, é secundado pelos partidos comunistas. No Brasil, pelo contrário, devido certamente a uma diferente condição económica, o 15o aproximou-se perigosamente de discursos reacionários com os quais eu não posso estar de acordo.

Em Portugal, pese a ausência de uma posição oficial do Partido Comunista, basta passear por algumas das páginas do facebook ligadas ao PCP (por exemplo, aqui) para perceber a recusa dos militantes em participar na manifestação. Um dos organizadores, Tiago Mota Saraiva, chegou mesmo a dar uma resposta criativa.

Mas o que não está claro, e o que deixa de pé atrás muita gente, é a relação entre o M12M (ou 15M ou 15o, pois está sempre a mudar de nome) e a CGTP. O 12 de março de 2011 não pode estar para o protesto social português como o nascimento de Cristo para o calendário. Assim, como muitas pessoas que organizam o 15o participaram na manifestação de 1 de Outubro, militantes do PCP e ativistas da CGTP participaram na manifestação de 15 de Outubro. Outros não participarão… Mas as diversas organizações não dialogarão nem colaborarão, ao contrario do que o Tiago Mota Saraiva deseja, enquanto estas questões não forem clarificadas.

Anúncios

10 de Outubro de 2011 - Posted by | Partidos, Sociedade portuguesa | , ,

Sorry, the comment form is closed at this time.

%d bloggers like this: