Fala Ferreira

Assim me saúdam os amigos de Guatemala.

15o, primeiro comentário: o PCP

Depois do sucesso da manifestação internacional de 15 de Outubro (ver aqui também), não posso deixar de tecer alguns comentários.

1. Tenho defendido, várias vezes, e insisto, que o movimento combina, em diferentes quantidades, dois discursos. Ambos comungam do facto de entender o mundo a partir de um nós/eles. O primeiro, a que chamo moralista, opõem cidadãos a políticos; o segundo, a que chamo socio-económico, opõe ricos a pobres, quando não trabalhadores a capitalistas.

Nos últimos três dias da manifestação, tal como nas vésperas do 12 de Março, houve um deslocamento do discurso no sentido da visão classicista. Isto coincidiu com a aproximação, ao 15o, de gente ligada ao PCP e à CGTP. Se em março me pareceu que foi a aproximação ao PCP que levou à mudança de discurso; agora parece ter sido exatamente o contrário: a mudança do discurso levou a que quadros do PCP decidissem, individualmente, participar na manifestação.

Sem dúvida, tal mudança no discurso ficou muito a dever ao anuncio das medidas de austeridade previstas no Orçamento de Estado de 2012 (ver aqui e aqui também). As declarações do Primeiro-Ministro obrigaram o PCP a apelar ao protesto a dois dias do 15o, ainda que falando de modo genérico e sem explicitar esse protesto. Por certo, ela deveu-se também ao papel de “farol” que as manifestações em Wall Street tiveram sobre a mobilização mundial a 15 de Outubro. Ali, até pelo lugar onde ocorrem essas manifestações, o discurso socio-económico se impõe sobre o discurso moralista. Inteligentemente, na Alemanha, os indignados, liderados pela ATTAC, saíram à rua sob o lema “A democracia não está à venda“.

Mas a tensão entre o discurso moralista e o discurso socio-económico persiste.  Em política, convidar os outros (como o 15o convidou os sindicatos), é fácil; difícil é aceitar o convite. É por isso que não vamos ver o 15o a discutir a semana de lutas convocada pela CGTP, assim como nunca se referiu à manifestação de 1 de Outubro. De modo simétrico, o PCP veio hoje falar de uma convergência contra a austeridade, sem fazer qualquer referência ao que se passou ontem à porta da Assembleia da República.

Anúncios

16 de Outubro de 2011 - Posted by | Europa, Sociedade portuguesa | , , ,

Sorry, the comment form is closed at this time.

%d bloggers like this: