Fala Ferreira

Assim me saúdam os amigos de Guatemala.

Nota sobre o trotskismo

Alguém me disse que os trotskistas não eram trotskistas se lessem Trotsky! Esta frase devia ser mudada, pelo menos a julgar por um livro que acabo de ler (download aqui). Os trotskistas não seriam trotskistas se compreendessem Trotsky. Este livro é exemplar no modo como aquilo que elogia no pensamento do Trotsky, a articulação entre a teoria e a prática, é esquecido na própria organização do argumento do livro. Sacarelli quer demonstrar que, para a renovação do marxismo, Gramsci é insuficiente e Trotsky é a solução. Mas o único critério em jogo para fazer tal avaliação é a distância (prática) que os dois assumem criticamente (isto é, teoricamente fundamentada) do stalinismo. Gramsci, continua Sacarelli, não viveu a IV fase do socialismo na URSS – o período da tese de coexistência pacífica – e, por isso, não teve uma compreensão ampla do stalinismo. Já Trotsky opôs-se a ele na teoria e na prática.

O problema do argumento de Sacarelli é que é puramente teórico. Dececionante vindo de alguém que conclui que a boa articulação entre a teoria e a prática é uma caraterística essencial do marxismo – caraterística que ele reconhece em Gramsci e Trotsky mas não em Stálin (a prática sem teoria) e no marxismo ocidental (a teoria sem prática). Sacarelli chega mesmo a criticar aqueles que leem Gramsci como um teórico sem olhar à sua prática, o que obviamente dilacera o pensamento gramsciano. Mas pensar a teoria gramsciana ao lado das ações políticas de Gramsci, como ele faz, é uma brincadeira para académicos passarem o tempo.

A prática em causa só é a de Gramsci, ou de Trotsky, na medida em que elucida a teoria. A prática que verdadeiramente interessa é a de Sacarelli e dos seus contemporâneos. Dito de outro modo: não é possível decidir quem dos dois, Gramsci ou Trotsky, oferece melhores elementos para refundar o marxismo hoje partindo da articulação que cada um deles faz entre a sua teoria e a sua prática. A articulação necessária é entre as necessidades práticas do movimento marxista de hoje e os caminhos possíveis que a teoria de cada um ilumina! Daqui resta uma conclusão: Gramsci e Trotsky são ambos insuficientes para “refundar” o marxismo. E análises puramente académicas (pior: que se negam como tal), como a de Sacarelli, são um estorvo ao aprofundamento – mais do que refundação – do marxismo.

Anúncios

16 de Março de 2012 - Posted by | Ideologia | , , ,

Sorry, the comment form is closed at this time.

%d bloggers like this: