Fala Ferreira

Assim me saúdam os amigos de Guatemala.

O regresso dos nacionalismos

O gráfico à direita chama-me muito a atenção. Em Portugal, certamente como em Espanha, Itália, Irlanda e Grécia, e possivelmente em França, deu-se uma nacionalização do credores Estado. Os bancos estrangeiros livraram-se das dívidas públicas de países que não o seu. Os bancos nacionais acabaram por comprar essa dívida para usá-la como garantia ao financiar-se junto do BCE. O BCE também comprou muita dessa dívida para ajudar a controlar as taxas de juro. Isto já tinha sido observado em Julho do ano passado, aquando da divulgação dos resultados dos testes de stress do sistema bancário europeu.

Do ponto de vista de uma inevitável renegociação da dívida isto facilitará a vida aos governos. Por outro lado, é também o fim de uma fase da globalização. É a re-localização do sistema financeiro que coincide com outros nacionalismos na disputa por recursos naturais. Isto mesmo se viu na Argentina e no Egipto.

É bom lembrar que a explicação mais corrente para a primeira Guerra Mundial foi a deterioração do comércio internacional. É certo que, por exemplo, Karl Polany nunca concordou com essa análise (embora eu ainda não me tenha aprofundado no argumento). É certo também que a tendência do sistema bancário europeu vai no sentido contrário do sistema bancário dos BRICs. Mas este é um ponto a que vale a pena estar atento!

Anúncios

28 de Abril de 2012 - Posted by | Economia, Mundo | , ,

Sorry, the comment form is closed at this time.

%d bloggers like this: