Fala Ferreira

Assim me saúdam os amigos de Guatemala.

Matemática do desastre

Saiu hoje a notícia de uma queda abrupta na receita do IVA em relação ao ano passado. A Unidade Técnica do Orçamento de Estado encontrou um erro nas contas do Ministério das Finanças. A quebra fiscal afinal foi de 7,4% e não de 3,5% previamente anunciados. O primeiro ponto a notar é que os cortes em despesa do Estado foram “compensados” pelo abrandamento da economia. Resultado: as medidas daTroika deixaram-nos na mesma.

No entanto, uma análise de merceeiro ou melhor, de antropólogo que gosta de economia, deixa-me ainda mais preocupado. A quebra de receita fiscal foi no IVA (Imposto sobre o Valor Acrescentado). Ora, notemos duas coisas. Uma, o PIB é o somatório do valor acrescentado de todas as empresas. Outra, a dívida e o défice público são calculados em percentagem do PIB. O que quer dizer que, mesmo que o governo não se endivide mais, a dívida pode aumentar apenas porque o PIB caiu. Ora, não será a quebra inesperada do IVA o indicador de uma quebra inesperada do PIB.

Passo Coelho disse hoje que vamos no bom caminho. Mas porque nos aplaudem; não porque estejamos a mostrar resultados. Até porque, segundo uma nota à comunicação social, o erro foi nas contas do ano passado. Esqueceu-se de dizer que as contas deste ano tomam por base as do ano passado. Nunca se faz um Orçamento de Estado a partir do zero (ver definição no wikipedia), mas sempre ajustando o do ano anterior. Portanto, os números não contam como quer dizer o nosso Primeiro Ministro; as comparações é que contam.

Não é possível ver algo positivo aqui. Não é possível dizer que as medidas de austeridade foram implementadas sem contar com uma folga que afinal existia. Afinal, segundo a mesma notícia, apesar das medidas de austeridade, a despesa do Estado aumentou, sobretudo devido aos juros da dívida pública. A única “esperança” é que a quebra no IVA se deva a uma fuga ao fisco. Afinal só isso explicaria a discrepância entre a queda do IVA e a queda do PIB. Lembremo-nos que o governo prevê uma quebra do PIB 3,3%; e a queda do IVA foi de 6,8%.

Anúncios

31 de Maio de 2012 - Posted by | Economia, Portugal | , , , ,

Sorry, the comment form is closed at this time.

%d bloggers like this: