Fala Ferreira

Assim me saúdam os amigos de Guatemala.

Notas sobre a morte do Santigo Ilídio

O que acontece hoje no Brasil é gritante. Se a vida pessoal me tinha atirado para o sofá, os acontecimentos exigem que vá para a rua. O cinegrafista Santiago Ilídio morreu depois de ter sido atingido por um foguete (rojão de vara) lançado por um manifestante. Duas pessoas foram presas (aqui e aqui).

Sobre este assunto quero fazer algumas notas:

1.° Nenhuma morte de um ser humano nos deve deixar indiferentes; nenhuma morte deve ficar impune. Não posso subscrever a posição de alguns partidos de esquerda que buscam isentar os dois responsáveis pelo acidente (ver aqui). Quem brinca com o fogo queima-se. E estes brincaram com fogo e pólvora no meio de uma multidão. Que seja feita justiça!!!

2.º Vários setores conservadores aproveitaram o acontecimento para fazer a mais suja campanha contra as manifestações e os partidos à esquerda do governo. O editoral de hoje da Globo é a vitrine desta campanha. Por todos os meios se busca ligar os dois acusados ao deputado do PSOL Marcelo Freixo. Também o advogado do primeiro preso, de proveniência duvidosa, afirmou que o seu cliente recebia dinheiro de partidos para ir nas manifestações provocar tumultos. O Estadão, como bom aluno, aceita vergonhosamente a propaganda da Globo como facto.

3.º Sobre o anterior tenho duas coisas a dizer. A) Não é a primeira morte (e aqui) desde que as manifestações do Movimento Passe Livre tomaram parte da agenda política (aqui e aqui também). Onde tem estado o jornalismo empenhado da Globo? B) Conheço bem demais a forma como estas manifestações são organizadas, bem como o tipo de pessoas que as organizam. Não há nem logística nem dinheiro para pagar 150 reais a cada membro dos Black Blocs. Pior, os Black Blocs tendem a isolar-se do grupo principal com sua agenda própria.

4.º Há uma justiça para ricos e outra para pobres. Será que Caio Silva vai ser condenado a “serviços à comunidade” como Thor Batista? Obviamente que não. Essa “violência”, de se saber menos humano que outros perante a justiça, deveria servir de atenuante para Caio Silva e justificar, em parte, a sua fúria perante o mundo e a manifestação.

5.º A elite age com as duas mãos. Ao mesmo tempo que avança com esta propaganda contra as manifestações, restringe os direitos democráticos dos manifestantes (aqui e aqui também). O que está em marcha, sob a liderança de um governo dito de esquerda, cheira a fascismo.

6.º Em resumo, a elite está como sempre: a provocar uma guerra entre as favelas e a classe média para manter-se no poder.

Para que a morte de Santiago Idílio não sirva ao espírito de porco da burguesia, e por estas seis razões, voltaremos para as ruas quinta-feira.

Anúncios

12 de Fevereiro de 2014 - Posted by | Imprensa, Segurança Rio, Sociedade Brasileira | , , ,

Sorry, the comment form is closed at this time.

%d bloggers like this: