Fala Ferreira

Assim me saúdam os amigos de Guatemala.

Lula é preso, Bolsonaro desiste e Alckmin é eleito

As eleições presidenciais no Brasil começa em breve. Todo o mundo está esperando o julgamento de Lula da Silva. Infelizmente Lula vai ser preso. Digo infelizmente não porque gostaria de o ver, de novo, na presidência, nem porque considero que ele é inocente. “Ninguém se elege sem caixa 2”, disse, há alguns anos, José Dirceu entrevistado no Roda Viva. Apenas porque, mais preocupante que a corrupção, que vilipendia mais as classes baixas que a falta de saúde e educação, é um sistema judiciário injusto, para o qual não há distinção entre negro, pobre e criminoso. Esse sistema judiciário celebrará, em breve, sua maior vitória e dela tirará a legitimidade para seguir fazendo com mais vigor aquilo que sempre fez.

A maioria dos analistas, entretanto, têm afirmado que, com Lula fora da corrida, qualquer um pode ganhar (ver aqui).

A verdade é que, depois deste vídeo, poucos acreditam que Bolsonaro seja eleito. Os debates televisivos têm, no Brasil, um peso muito grande e, neles, o candidato só pode revelar-se um idiota. Será esmagado pelos concorrentes e perderá a eleição ainda no primeiro turno. Além disso, com Lula fora da corrida, Bolsonaro terá toda a imprensa contra ele, como já se vê à medida em que se aproxima inevitável condenação de Lula (aqui e aqui). Mas, a minha aposta é que Bolsonaro sequer será candidato. Nesta confusão gerada pelo impedimento da candidatura de Lula, conhecer e jogar de antemão com as regras do jogo – que são novas – é crucial. E, assim, merece ser lido este artigo do Valor. Eu faço um resumo:

Um dos impactos da Lava-Jato foi a proibição legal de doações de empresas e o temor das doações privadas. Assim sendo, a principal fonte de financiamento de campanhas eleitorais será o orçamento, ou seja, o dinheiro que o congresso porá ao dispor dos partidos. Como indica o jornalista do Valor, isso transferiu boa parte do poder do candidato para o presidente do partido. Se as regras anteriores ainda valessem, vários partidos já se haviam aproximado de Bolsonaro que, entretanto, já estaria rodeado de empresários dispostos a financiar a sua campanha. Dependente do dinheiro de um partido que o aceite, é ele que deve tomar a iniciativa – e têm feito isso com o talento que se lhe conhece. Acredito que, cedo ou tarde, ele acabará por reconhecer a sua incapacidade de diálogo e regressará ao seu partido de origem para renovar o seu salário de deputado.

De fato, o único presidenciável que já se moveu de acordo com as novas regras de financiamento, e se fez eleger como presidente do PSDB, foi Alckmin. No xadrez complicado pelo que ocorre com Lula da Silva, ele é o único que parece saber para onde deslocar as peças.

23 de Janeiro de 2018 Posted by | Brasil, Partidos | , , , | Comentários Desativados em Lula é preso, Bolsonaro desiste e Alckmin é eleito